Oficina Educação em Foco “Automotivação”

Dentro do nosso tema de estudo, Inteligência Emocional, um aspecto se configura de fundamental importância: a motivação.  Como nos mantermos motivados?

Abordamos então a AUTOMOTIVAÇÃO, a dimensão do “eu me mobilizo”. Um tema que nos possibilitou reflexões importantes no que se refere aos atos da vida comum.

Iniciamos nosso trabalho com o seguinte questionamento:

COMO VOCÊ SE MOTIVA?

A questão gerou ampla discussão entre os componentes do grupo. Foi tão abrangente, que permeou os mais diversos temas. Citamos alguns comentários:

  • Normalmente algo me motiva. O estímulo é externo;
  • Eu me forço a iniciar. Quando encontramos uma barreira, caímos um pouco. Temos que recomeçar.
  • Antes eu não tinha planejamento, já acordava na rotina. Hoje faço uma reflexão à noite (40 minutos), pensando no que vou fazer amanhã. Pela manhã, pulo e aí vai. Acordo no embalo;

Foram reflexões oportunas, que nos possibilitaram passear  pelos pormenores da nossa experiência diária, resultando em uma análise crítica do nosso proceder referente à AUTOMOTIVAÇÃO. Nossa discussão nos conduziu a temas de grande relevância, como o “pensamento” e a “dor”. Destacamos alguns apontamentos:

  • Toda ação que desejamos realizar, inicia-se no pensamento. Assim vamos plasmando nossa realidade;
  • Quando preciso fazer algo grande, penso no primeiro passo, assim me motivo;
  • Considero três aspectos:
  1. Passo a passo, ou seja, um passo de cada vez;
  2. A dor sempre nos convida ao movimento. Ela deveria ser encarada como uma amiga;
  3. Pensar no resultado.

Após rica discussão, avançamos para a próxima etapa. O coordenador do estudo do dia apresentou, como ferramenta de reflexão, uma lista de frases, sobre as quais analisamos nossa postura pessoal.

  1. Eu ___ estabeleço metas para mim.
  2. Eu ___ me mantenho firme para alcançar o que desejo.
  3. Eu ___ aprendo a melhorar o meu desempenho.
  4. Eu ___ me identifico com o objetivo de um grupo.
  5. Eu ___ me comprometo com o objetivo de um grupo.
  6. Eu ___ estou sempre pronto para aproveitar as oportunidades.
  7. Eu ___ ajo com esperança em cada ato.
  8. Eu ___ encaro os obstáculos como circunstâncias contornáveis.
  9. Eu___ persisto na busca dos objetivos apesar dos reveses.
AUTOMOTIVAÇÃO, como afirmamos anteriormente, é a dimensão do “eu me mobilizo”. Trata-se da capacidade de dirigir as emoções a serviço de um objetivo ou realização pessoal. Se nos deixarmos levar pela ansiedade e pelos aborrecimentos, dificilmente conseguiremos nos concentrar na tarefa que estamos realizando. Por outro lado, se estivermos motivados, encontraremos prazer no trabalho e não  perderemos a calma durante o período de espera pela gratificação.

Suas competências são fundamentais não só para a evolução no mundo do trabalho, mas também para a nossa realização como seres humanos.

Orientação para a realização – ser movido pela concretização de objetivos.

O que faz a pessoa que tem essa competência (indicadores):

– Estabelece metas para si mesma;

– Assume riscos calculados;

– Busca os meios para atingir suas metas;

– Mantém-se firme para alcançar o que deseja;

– Aprende a melhorar seu desempenho;

Engajamento – Dedicar-se ao atingimento da meta de um grupo ou organização.

O que faz a pessoa que tem essa competência (indicadores):

– Identifica-se e compromete-se com o objetivo de um grupo;

– Tem disposição para fazer esforços pessoais por esse objetivo;

– Baseia sua conduta nos valores do grupo;

Iniciativa – Tomar atitudes espontaneamente e prontamente.

O que faz a pessoa que tem essa competência (indicadores):

– Toma a frente de outras pessoas para propor ou realizar algo;

– Acelera pessoas e/ou processos para que as coisas aconteçam;

Otimismo – Acreditar que o melhor irá acontecer.

O que faz a pessoa que tem essa competência (indicadores):

– Age com esperança de sucesso em vez de medo do fracasso;

– Encara obstáculos como circunstâncias contornáveis;

– Persiste na busca dos objetivos apesar dos reveses;

Novamente, passeamos por vários aspectos da vida diária, onde cada comentário parecia ampliar nossos horizontes.

Dentre as considerações feitas, podemos destacar os seguintes comentários:

  • Não tem como ter automotivação sem os domínios anteriores;
  • Há pessoas que não vivem, apenas sobrevivem. Isso demanda esforço de nossa parte.
  • Por vezes, o fato de gerarmos movimento parece incomodar outras pessoas;
  • Inicie seu movimento, é individual.
TRABALHO EM GRUPO

Na sequência dos nossos estudos, foi proposta uma atividade em grupo: estabelecer uma meta e criar um símbolo para representá-la naquele momento. Começamos a trabalhar!!!

A primeira ideia surgiu:

  • Quando penso num símbolo, eu vejo uma luz.
  • O sol.

E assim o fizemos. Lançando mão de recortes e colagens, confeccionamos um lindo sol, que nos serviria de referência para que atingíssemos a meta estabelecida.

Do ponto de partida até a meta, representada pelo nosso símbolo, delineamos um caminho fazendo uso de barbante. Caminho este que deveríamos percorrer se quiséssemos alcançar nosso objetivo.

Meta estabelecida, roteiro definido. O que poderia nos impedir de alcançar nosso propósito?

Após breve reflexão, cada participante escreveu em pequenos pedaços de papel as dificuldades que poderiam impedi-lo de obter êxito. Estas foram espalhadas ao longo de todo o trajeto até o objetivo final.

É hora de refletir!!!

Em nosso trajeto, estavam entre os obstáculos: dúvida, indisciplina, zona de conforto e falta de percepção.

Após detida discussão em torno da atividade desenvolvida, o grupo chegou a conclusões importantes, que esperamos ser muito úteis em nossas experiências diárias.

  • Sobre a dúvida: Em uma tarefa de grupo, é mais fácil renunciar; no âmbito pessoal, torna-se mais difícil;
  • Sobre o autopreconceito: Não nos sentimos capazes, desistimos sem mesmo começar. Nós somos a primeira barreira;
  • Em relação à falta de percepção: “centrado em mim não enxergo o todo”.
  • Quanto à fantasia: Pensamos muitas coisas sobre o que queremos alcançar, mas ficamos apenas no imaginário, na fantasia, criando uma ilusão, sem movimento de realização.
“Se você não definir quem você é, alguém fará por você”. Lúcia Helena Galvão.

Autoria Equipe Pedagógica Ubuntu Vila Educacional

Conheça um pouco mais sobre nossa proposta: SOBRE NÓS

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *