Oficina Educação em Foco “Alimentação”

Quando nos reportamos à alimentação, não nos damos conta da importância deste tema em nossas vidas. Muitos aspectos devem ser considerados, pois um ato consciente no momento em que nos alimentamos, certamente nos proporcionará inúmeros benefícios, culminando em uma vida de muito mais qualidade.

Diante da importância do tema, concentramos nossa discussão em uma reflexão profunda sobre os benefícios da boa alimentação e as consequências de uma alimentação desvinculada do compromisso de zelarmos pelo equilíbrio de nossa máquina biológica.

Introduzindo nosso estudo, assistimos a um vídeo sobre a fisiologia do processo da digestão, que apresentava todo o percurso que o alimento faz, bem como as reações químicas que são desencadeadas e sustentam a dinâmica digestiva.

O vídeo pode ser assistido em nosso canal do Youtube, no link:

www.youtube.com/watch?v=WjjQ_2oFNPk

O vídeo proporcionou reflexões importantes ao grupo, uma vez que impressiona a riqueza de detalhes do organismo humano e o sincronismo com que o processo se dá.

– Imaginar que a gente come, em média, de três em três horas!

Com vistas a um maior entendimento do tema estudado, propôs-se a seguinte atividade:

O grupo foi dividido em duas equipes, sendo que cada equipe recebeu, através de sorteio, textos diferenciados, que abordavam relevantes aspectos sobre a alimentação.

Texto 1 – Alimentação e Nutrição

Texto elaborado a partir de trechos de artigos.

Pode ser acessado no link a seguir:

https://drive.google.com/open?id=1k5SrvGqxHbIHGgoD1b9_JvsRDDclY-KGlMZj83jCt-w

 

Texto 2 – Microbiota Intestinal

Texto elaborado a partir de trechos de artigos.

Pode ser acessado no link a seguir:  https://drive.google.com/open?id=1sG4iV5GHZwfbEr_bOg1RXwHJsZxNiqrnLPRdt28Xkgw

 

Qual a dinâmica então?

Sugeriu-se que cada componente lesse o texto individualmente, em seguida discutindo com sua equipe de trabalho as impressões geradas pelo conteúdo apresentado. Cada equipe, então, deveria formular uma proposta de atividade, envolvendo o tema, a ser desenvolvida com um grupo de pessoas em uma faixa etária específica. Em outras palavras, apresentar uma proposta pedagógica a ser desenvolvida com um grupo específico, cuja faixa etária ficaria à escolha da própria equipe de trabalho.

Após leitura dos dois textos, planejamento e apresentação das atividades propostas, o grupo todo discutiu e fez as considerações finais.

Bom… para facilitar o nosso entendimento sobre o percurso feito por cada equipe, até a apresentação da proposta final, abordaremos um grupo de cada vez, iniciando pelo texto 1.

 

GRUPO 1 – Alimentação e Nutrição

Após leitura e discussão em torno do texto proposto, o grupo iniciou a construção da proposta de atividade pensando em uma atividade que pudesse ser adaptada a diversas faixas etárias, considerando que “o conhecimento pode ser passado para qualquer idade, você só busca adaptar ao nível da criança ou do jovem”.

Como a Ubuntu Vila Educacional iniciará suas atividades com a educação infantil, o grupo buscou construir uma atividade visando esta faixa etária, considerando ser uma tarefa “desafiadora”.

Surge, então, a primeira ideia: o alunos construírem, a partir das próprias conclusões, baseada em estudos e em experiências vivenciadas na rotina escolar, uma nova proposta de pirâmide alimentar.

É realmente desafiador trabalhar a questão alimentar, proporcionando, a um grupo de crianças de 5 anos, autonomia suficiente que lhes possibilite construir uma nova proposta de pirâmide alimentar. Isso é fantástico!

O grupo considera importante a criança participar ativamente de todo o processo de produção do seu alimento, desde a sua semeadura até o momento do consumo, perpassando por aspectos não menos importantes como a mastigação e o valor nutricional de cada alimento. “Se a criança recebe esta orientação na escola, ela leva para casa e para a vida”.

Aprofundando a reflexão sobre a atividade que está sendo construída, volta-se o olhar para a importância da hidratação. “Na nova proposta de pirâmide que eu visualizo, a água é a base, a mais importante”.

A partir desta e de outras considerações, o grupo se questiona: “mas como desenvolver isso na prática?”. Então, algumas considerações são feitas, como citamos a seguir:

“Devemos iniciar abordando aspectos como: o que é se alimentar e o que é se nutrir?

“Desenvolver uma atividade prática, que solicite bastante movimento, que a criança perceba que ela precisa se nutrir e se hidratar”.

“Que nesse momento ela entenda que é melhor a água que o refrigerante”.

Após ampla discussão o grupo 1 apresentou a seguinte proposta pedagógica:

 

PROPOSTA 1

Durante todo o período escolar, rotineiramente, as crianças devem ter acesso a informações que lhes possibilitem perceber a importância da boa alimentação, como fator de nutrição e hidratação do corpo.

Ao mesmo tempo, como rotina, devem ter a vivência prática que passa por todo o processo de produção do seu alimento, desde a preparação do solo e semeadura até o momento em que estaria pronto para o consumo. Lavarão o alimento produzido e prepararão o próprio lanche.

Espera-se que essa nova postura seja vista com a naturalidade devida e que esta mensagem seja levada para os relacionamentos que a criança estabelece fora do contexto escolar, família, amigos, enfim, a comunidade em que está inserida. A partir destas construções, os pequenos apresentariam uma nova proposta de pirâmide alimentar.

 

GRUPO 2 – Microbiota Intestinal

Destacamos um pequeno trecho do texto para subsidiar o início desta discussão.

“A microbiota intestinal representa a população de microorganismos que habitam o nosso tubo digestivo, também conhecida como flora intestinal. Nossa microbiota é composta por dezenas de trilhões de bactérias, incluindo pelo menos 1000 espécies diferentes com mais de 3 milhões de genes (150 vezes mais do que genes humanos). Esse “ser” dentro do nosso corpo chega a pesar por volta de 2kg. Um terço de nossa microbiota é comum à maioria das pessoas, enquanto que dois terços são específicos de cada indivíduo. Em outras palavras, a microbiota em seu intestino equivale a uma carteira de identidade.”

Após as considerações iniciais, o grupo começou a delinear a linha de pensamento que iria seguir para a construção da proposta pedagógica.

Levando-se em consideração que “um terço de nossa microbiota é comum à maioria das pessoas, enquanto que dois terços são específicos de cada indivíduo”, em outras palavras, “a microbiota em seu intestino equivale a uma carteira de identidade”, considerou-se como proposta pedagógica estabelecermos uma analogia da microbiota intestinal com três grandes instituições, visando evidenciar que todas entidades têm uma terça parte de estrutura básica que seria comum, semelhante, e outra estrutura que é diferenciada, sendo esta duas vezes maior que a básica, sendo um fator de individualização de cada instituição.

As seguintes instituições foram consideradas, com uma estrutura de funcionamento semelhante, mas específicas em suas finalidades:

  1. Uma Empresa – 1/3 formada por seu presidente e gestores e os outros 2/3 formada por seus comandados que desenvolvem tarefas que caracterizam a sua finalidade.
  2. Uma Escola – 1/3 formada por direção e coordenação, os outros 2/3 formada por professores e alunos que desenvolvem atividades que caracterizam a finalidade.
  3. Um País – 1/3 (representativos) formada pelo presidente e colaboradores com cargos de coordenação e 2/3 (representativos) formados pela população que o movimenta e dá características específicas.

 

PROPOSTA 2

A turma estará dividida em três equipes e cada equipe montará, fazendo uso de materiais diversos (papel, cola, tesoura, etc.) uma pequena estrutura representativa dessas instituições, evidenciando, em cores semelhantes, o que seria comum às três instituições, e em cores diferentes o que as torna distintas, a exemplo do que podemos constatar na microbiota intestinal.

 

Chegou o momento de nos reunirmos no grande grupo para as considerações gerais do trabalho realizado. Este momento foi muito rico!

Muitos apontamentos importantes foram ventilados nesta etapa do nosso trabalho. E aqui podemos destacar os dez itens evidenciados no texto 1 – Alimentação e Nutrição, merecendo ênfase o que se refere ao consumo de refrigerantes e suas consequências.

Buscando enriquecer ainda mais nossa reflexão, assistimos a um trecho de documentário sobre as proteínas, que nos trouxe grandes elucidações, principalmente no que se refere ao consumo de tecido animal para se conseguir proteína. Sugerimos que assistam ao documentário, para melhor compreensão do assunto.

Encontre em nosso canal do Youtube, no link: https://www.youtube.com/watch?v=jkWLKRyc9vA&t=6s

Dando prosseguimento às nossas reflexões, outros aspectos foram abordados, como o fato de “inacreditáveis 70% de todo o nosso sistema imunológico estar no intestino”. Ou, para descontrair, que “se a microbiota intestinal chega a pesar por volta 2 kg, eu não estou tão gordo assim!”

Ressaltamos a importância de se crescer tendo maior lucidez e responsabilidade sobre o ato de bem alimentar-se. Não só com relação à alimentação, como também com relação a outros processos não menos importantes como a própria respiração.

  Encerramos esta proposta de trabalho assistindo a um vídeo sobre o Jejum Intermitente, com o Dr. Barakat, abordando, entre outros aspectos, a importância do jejum na promoção da saúde. Fantástico!

Encontre em nosso canal do Youtube, no link: https://www.youtube.com/watch?v=v75ugvzILG0

De forma conclusiva, destacamos a importância de ampliarmos a nossa compreensão no que se refere à alimentação e ao processo digestivo, lidando com maior lucidez com estes aspectos tão importantes para a manutenção da saúde e, consequentemente, levando uma vida com  muito mais qualidade.

Autoria Equipe Pedagógica Ubuntu Vila Educacional

Conheça um pouco mais sobre nossa proposta: SOBRE NÓS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *