Oficina Educação em Foco “Autoconsciência”

Continuando o estudo da Inteligência Emocional, adentramos no primeiro domínio citado por Daniel Goleman – Autoconsciência.

Iniciamos o assunto questionando o grupo: “Por que você considera importante a autoconsciência?” As respostas foram surgindo e fomos definindo que para nos transformarmos, sendo pessoas melhores e mais felizes, devemos, primeiramente, identificar aquilo que precisa ser transformado.

Conhece-te a ti mesmo

Conversamos um pouco sobre a famosa frase “Conhece-te a ti mesmo”, que remonta há mais de 500 anos antes de Cristo, ou seja, mais de 2500 anos atrás. O aforismo “Conhece-te a ti mesmo” está inscrito na entrada do templo de Delfos, construído em honra a Apolo, o deus grego do sol, da beleza e da harmonia.
A frase completa é: “Conhece-te a ti mesmo e conhecerás os deuses e o universo.”
Segundo Platão, Sócrates esteve presente no Templo de Apolo em Delfos, onde o oráculo afirmou que ele era o homem mais sábio que existia. No entanto, a resposta de Sócrates foi aquela que é provavelmente a sua frase mais conhecida: “Só sei que nada sei”.
Sócrates foi um grande defensor do autoconhecimento, e durante a sua vida dedicou muito tempo para tentar entender a sua própria natureza. Afirmou que nenhum indivíduo era capaz de praticar o mal conscientemente e propositadamente, mas que o mal era um resultado da ignorância e falta de autoconhecimento.

História de Penn e Matt

Para refletirmos e debatermos um pouco mais sobre o tema, foi nos apresentada a história verídica de Penn e Matt, que consta no livro “Trabalhando com a Inteligência Emocional”, de Goleman.
Sternberg conta uma história a respeito de dois estudantes, Penn e Matt. Penn era um aluno brilhante e criativo, um exemplo do que Yale tinha de melhor. O problema com Penn era ele saber que era extraordinário e, por isso, como declarou um professor, era “incrivelmente arrogante”. A despeito de sua capacidade, Penn incomodava as pessoas, especialmente as que tinham de trabalhar com ele.
Mesmo assim, seus trabalhos escritos eram espetaculares. Quando se formou, Penn foi muito requisitado. Todas as principais organizações no seu campo de atuação o chamaram para entrevistas de seleção, e, com base em seu currículo, estava no primeiro lugar da prioridade de contratações em todas elas. No entanto, a arrogância de Penn sempre revelava-se com absoluta nitidez e ele acabou com uma única oferta de emprego, feita por uma organização de segundo escalão.
Matt, outro estudante de Yale no mesmo campo de Penn, não era tão brilhante em termos acadêmicos. Mas tinha aptidão para o relacionamento interpessoal e todos com quem trabalhava gostavam dele. Matt acabou tendo sete ofertas de emprego após oito entrevistas, e avançou na sua carreira, com êxito, enquanto Penn foi dispensado do emprego depois de dois anos.
Penn carecia de inteligência emocional, que Matt possuía.
A partir desta história, você consegue perceber a importância da autoconsciência?

Vídeo Las emociones y el cerebro – As Emoções e o Cérebro

Fomos convidados a compreender um pouco mais dos efeitos das emoções sobre nossos cérebros e nossos corpos, assistindo ao vídeo “Las emociones y el cerebro”.

Conversamos sobre uma dica bem importante: SPA (Sentir; Pensar; Agir). Em todas as situações que vivemos é importante percebermos nossos sentimentos e emoções (incluindo as reações que ocorrem em nosso organismo), analisarmos com cautela, pensar no que está acontecendo e no que devemos fazer, e, somente então, agir.

Esta é a sequência ideal para nossas tomadas de decisões, mas geralmente sentimos algo, agimos por impulso e só depois pensamos a respeito. Nossas emoções são muito poderosas, por isso precisamos domá-las e utilizar nossa energia para as realizações positivas.

Competências da Autoconsciência/Autopercepção

Ter autoconsciência é conhecer os próprios estados interiores, preferências, recursos e intuições. Podemos definir que uma pessoa é autoconsciente quando ela possui três competências emocionais:

Percepção emocional: Reconhecer as próprias emoções

Autoavaliação precisa: Conhecer os próprios pontos fortes e limitações

Autoconfiança: Certeza do próprio valor e capacidade

Neste momento, o grupo foi dividido em trios, sendo que cada trio deveria ler os textos sobre as três competências citadas, fazendo anotações. Posteriormente, todos produziram conjuntamente um cartaz, com as informações que cada trio achou mais relevante.

ACESSE OS TEXTOS SOBRE AS COMPETÊNCIAS DA AUTOCONSCIÊNCIA AQUI!

Terminado o cartaz, conversamos sobre as anotações e encerramos o encontro cantando e vibrando!

Autoria Equipe Pedagógica Ubuntu Vila Educacional

Conheça um pouco mais sobre nossa proposta: SOBRE NÓS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *