Oficina Educação em Foco “Consciência Social”

Neste encontro, nosso tema foi “Consciência Social” ou “Consciência do Outro”, que é a dimensão do “eu considero os outros”, da Inteligência Emocional.

Diversas pesquisas, em todo o mundo, atestam que a inteligência intelectual não é suficiente para que você encontre satisfação na vida. Muitas vezes, ainda,  utilizamos nosso intelecto para, unicamente, satisfazer nossos interesses pessoais, e acabamos nos afastando mais do verdadeiro bem-estar e equilíbrio.

A inteligência emocional afeta nosso desempenho no trabalho, nossos relacionamentos, nossa saúde física e mental.

As competências da consciência social são fundamentais para mantermos relacionamentos equilibrados, consequentemente para sentirmos plenitude e felicidade, afinal é da natureza humana viver em sociedade.

Refletindo sobre nossa postura nas relações

Após nosso costumeiro alongamento inicial e cantoria, começamos refletindo sobre nossos relacionamentos. Experimente este exercício pensando com sinceridade sobre alguns momentos em que você se relaciona com as pessoas, seja no trabalho, com a família, na sociedade, etc:

01) Escutei efetivamente a pessoa que se aproximou de mim? Ou estava muito ocupado?

02) Fiz perguntas sobre o conteúdo do que ela estava falando?

03) Perguntei sobre seus sentimentos e emoções?

04) Eu modifiquei minha linguagem corporal, expressões faciais, tom de voz e outros elementos para entrar em sintonia com outra pessoa?

05) Tentei ajudar a encontrar soluções para o seu problema?

Encerrando este exercício e partilhando com o grupo, debatemos sobre o que consideramos um relacionamento verdadeiro. Resumindo alguns pontos, mencionamos o que segue:

  • Relacionamentos verdadeiros são aqueles que nem sempre precisam de palavras. É confortável estar com a pessoa no silêncio;
  • As conversas são profundas e reais, não são apenas sobre superficialidades e convencionalismos;
  • Nos relacionamentos verdadeiros há escuta, partilha e fala, há preocupação mútua real;
  • Não julgamento, aceitação, com orientação e respeito

Continuando o tema, fomos levados a escolher três pessoas do nosso cotidiano. Pensando sobre cada uma, chegou a hora de se questionar: Qual minha postura em relação a esta pessoa até hoje?

E você, já tirou um tempo para pensar nos seus relacionamentos e como tem sido sua postura? Em nossa discussão, descobrimos que, muitas vezes, somos invasivos, hostis e até controladores. Costumamos considerar as pessoas como “projetos que precisamos consertar”.

Os relacionamentos que nos trazem mais prazer são aqueles em que nos colocamos num patamar de igualdade com o outro, valorizando, respeitando, desenvolvendo a empatia e a compreensão, sem expectativas.

Consciência Social ou Consciência do Outro

Segundo Daniel Goleman, considerado o “pai da Inteligência Emocional”, entende-se por consciência social a capacidade de compreender as necessidades das outras pessoas.

Pessoas com essa qualidade despertam respeito e amizade no seu círculo de convivência. Elas se interessam em compreender sentimentos de outras pessoas com a intenção de criar relacionamentos mais eficazes.

O garçom que se preocupa com o gosto do cliente para poder sugerir um cardápio adequado. O vendedor que procura o máximo de informação possível sobre o cliente para poder ajudá-lo na sua busca. O líder de equipe que procura conhecer seus liderados para melhor entendê-los. O executivo que procura lembrar o nome das pessoas. Essas pessoas têm algo em comum, elas são impulsionadas pela consciência social.

Competências da Consciência Social

Ter consciência social significa dizer que você considera cuidadosamente o que as pessoas desejam/precisam e planeja se comunicar com elas de forma a atender suas necessidades. São competências da dimensão “Consciência Social”:

Empatia – Compreender os outros.

O que faz a pessoa que tem essa competência (indicadores):

– Sabe colocar-se no lugar dos outros para entendê-los

– Percebe os sentimentos dos outros por meio da linguagem corporal deles

– Tem consideração pelos pontos de vista, necessidades e/ou interesses alheios

Desenvolvimento de pessoas – Facilitar a ampliação das habilidades dos outros.

O que faz a pessoa que tem essa competência (indicadores):

– Identifica os pontos fracos das pessoas e dá orientação para que elas possam supri-los

– Reconhece os pontos fortes das pessoas e enaltece-os com comentários (feedback positivo)

– Propõe tarefas que estimulam o desenvolvimento das aptidões das pessoas

Orientação para o serviço – Proporcionar a satisfação das pessoas.

O que faz a pessoa que tem essa competência (indicadores):

– Identifica de que formas seu produto ou serviço atende às necessidades alheias

– Tem prazer em oferecer assistência adequada

– Busca maneiras de aumentar a satisfação das pessoas

Consciência Organizacional – Compreender a organização social em que estou inserido:

– Entender as oportunidades de evolução que os relacionamentos fornecem;

– Analisar os conflitos, as normas implícitas e os valores orientadores da comunidade.

Bons ventos de mudança

Seguindo nossa Oficina, assistimos juntos o vídeo “A importância da empatia”, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=gQJmngamIfw.

Todos os nossos encontros são oportunidades para promovermos mudanças em nós mesmos, entendendo que toda transformação que ocorre em mim, automaticamente transforma a sociedade.

Encerramos com a proposta de refletirmos mais profundamente sobre nossos relacionamentos e nossa postura diante deles. Também nos comprometemos com a tarefa de projetar mudanças significativas no relacionamento com as três pessoas que escolhemos no exercício do dia, compartilhando com o grupo no próximo encontro.

Autoria Equipe Pedagógica Ubuntu Vila Educacional

Conheça um pouco mais sobre nossa proposta: SOBRE NÓS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *