Oficina Educação em Foco “Importância da Infância – O Começo da Vida”

AH! A INFÂNCIA!

Ah! A infância e suas diversas facetas! A infância e as mil formas sob a qual é encarada e entendida! O período infantil tem sido alvo de pesquisas, observações, debates, reflexões e experiências há muito tempo, diríamos até que desde que o ser humano existe no planeta este tema também existe.

Todo indivíduo que nasce precisa estagiar na fase infantil, este período está designado pelas Leis da Natureza. É uma etapa de muitas descobertas. Enquanto o organismo se desenvolve, o Ser desperta, aprende sobre o mundo, sobre as pessoas, vai se constituindo e estabelecendo seu espaço na sociedade.

Neste encontro, iniciamos o tema “Importância da Infância” e, para adentrarmos neste conteúdo, decidimos assistir ao documentário “O Começo da Vida”, disponível na Netflix, Google Play e iTunes.

Antes de iniciarmos as reflexões, cantamos e realizamos exercícios de alongamento. Já que constantemente apontamos aqui no blog que desenvolvemos atividades físicas em nossos encontros, achamos importante ressaltar que nossa proposta é sempre enxergar o indivíduo em sua concepção global – biológica, psicológica, social, espiritual – portanto, optamos em iniciar os encontros propiciando ao nosso corpo alguns exercícios para que tenhamos mais bem-estar e nos estimulemos a esta rotina de movimento em nosso dia a dia.

 

O COMEÇO DA VIDA

O documentário “O Começo da Vida” apresenta muitas situações, abordadas por estudiosos de diversas áreas, pais e demais atores do ambiente infantil. O grupo tem considerado os vídeos muito inspiradores e um ótimo recurso para refletir sobre inúmeras questões que envolvem a infância.

Debatemos, neste dia, sobre os episódios 1, 2 e 3 da série, sendo o primeiro intitulado “O Bebê Fantástico”.

A partir do vídeo, refletimos na incrível fase que vai até os 3 anos de idade, em que os bebês são considerados os grandes cientistas da vida. Neste período, eles fazem o contato com o mundo através de seus sentidos, há um instinto inato de aprender, de compreender padrões, de entender como tudo funciona.

Até os três ano de idade, o cérebro cria sua “fundação”, como numa construção civil. As conexões que se realizarão ao longo da vida se estruturarão sobre esta fundação.

As experiências que o bebê vive podem aumentar ou limitar o potencial cerebral. É importantíssimo refletir nos estímulos oferecidos neste período. O afeto é essencial, conforme apontam os estudiosos da área, é ele que fortalece as conexões neuronais.

 

No episódio 2 – “Tornar-se Pai, Tornar-se Mãe”, temos a abordagem sobre as inúmeras transformações e emoções de tornar-se pai e tornar-se mãe. Essa transformação na vida dos indivíduos, incluindo novos membros na família, traz mudanças que podem ser encaradas de diversas formas.

Este vídeo trouxe reflexões profundas sobre puerpério, depressão pós-parto e, com maior gravidade, a psicose pós-parto.

Percebemos a importância da rede de apoio ao “nascimento dos pais” e desenvolvimento destes pais, pois a missão da paternidade e da maternidade aflora um universo de sentimentos e necessidades.

 

No terceiro episódio – “Livre Para Aprender”, o foco está no processo de aprendizagem e constituição do Ser, que se dá principalmente nas relações sociais.

Uma das questões que mais impactou ao grupo, foi o estudo sobre a relação virtual e a relação concreta entre os indivíduos. Foi feito um experimento com dois grupos de crianças:

No “grupo a”, crianças se relacionavam com adultos de outra nacionalidade por um período de tempo. No “grupo b”, crianças se relacionavam com os mesmos adultos da outra nacionalidade, porém virtualmente, pelo mesmo período de tempo do “grupo a”.

Ao final do experimento, constatou-se que as crianças do “grupo a” aprenderam o idioma igualmente às crianças daquela nacionalidade, em contrapartida, as crianças do “grupo b”, tendo as mesmas experiências de forma virtual, não conseguiam compreender o idioma.

O uso constante de tecnologias oferece um risco ao desenvolvimento saudável, pois cria um afastamento social, retira o estímulo de observação, onde a criança percebe e aprende a cultura, as relações, as regras e normas, elabora a empatia e demais valores sociais.

Crianças são grandes inovadoras, quanto mais propiciarmos autonomia com responsabilidade, oportunidades de observação, de “tédio”, de criatividade, do brincar livremente, elas vão ampliando sua capacidade de criar e solucionar problemas. Crianças assimilam seus ambientes e se constroem a partir deles.

O grupo considerou os vídeos muito valiosos, abordando questões importantíssimas do universo infantil, com informações ricas, conteúdo elaborado por estudiosos, experiências diversas e reais.

Autoria Equipe Pedagógica Ubuntu Vila Educacional

Conheça um pouco mais sobre nossa proposta: SOBRE NÓS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *